Pages

Posts em Destaque

sexta-feira, 21 de abril de 2017

AMAZÔNIA. NOTÍCIAS.21-04-2017. A REDE GLOBO E A DELAÇÃO DA LAVA JATO

No Jornal Nacional do dia 20-04-2017, o início falou sobre Lula, logo depois mais Lula. Para não dar muito na cara, fala de outros delatados. Depois volta ao Lula. Basta verificar o tempo que se fala no Lula e comparar com os demais.

Esse tipo de "jornalismo" deve ser combatido. É um direcionamento descarado. Agora o que se esperar de uma emissora que produz o Big Brother Brasil?


ROMERO JUCÁ E SUAS COMPARAÇÕES

Recentemente li no Facebook que Romero Jucá fez uma comparação dizendo que Dilma era Lula e Temer o Tite. Então, veio uma dúvida: será que seria em traição? Em lascar a vida dos trabalhadores com as reformas trabalhista (ferrar a vida do trabalhado) ou na reforma da previdência (ferrar mais ainda o trabalhador), ou será em número de delações na Lava Jato? Quem tiver a resposta, favor postá-la.


DORIA PAGOU MICO

O Papa Francisco não deixou o Doria, o gestor, fazer marketing, e o deixou no vácuo, quando este foi beijar a mão daquele. Bem feito.

A CARA DE PAU NÃO SEM LIMITE E A INDIGNAÇÃO SELETIVA

Eu acho engraçado a atitude de algumas pessoas que se dizem contra a corrupção, mas somente se pronunciam contra o PT, contra Lula. Parecem que são cegos em relação ao Eduardo Cunha, Romero Jucá e outros, mas depois vem dizer não os apoiam.  Mas nunca falaram absolutamente nada contra eles, mesmo com farto material probatório.





domingo, 22 de maio de 2016

AMAZÔNIA. NOTÍCIAS-22-05-16

O FINANCIAMENTO DO GOVERNO DE NICOLAS MADURO PELA PRESIDENTA  DILMA: VERDADE OU POTOCA?

Circula em memes e post no Facebook informações de que a Presidenta Dilma financiava o governo de Nicolas Maduro. 

Ante essa situação, fiquei curioso em relação a isso, causando-me diversos questionamentos, os quais passo a relacioná-los.

Como seria essa ajuda que supostamente a Presidenta Dilma fornecia a Nicolas Maduro? Seria  em dinheiro ou outra forma. Neste último caso, explicite a forma? Qual seria a frequência dessa ajuda, mensal, diária, anual, ou outra? Qual o valor em reais dessa ajuda, até mesmo porque para se manter um governo como o da Venezuela, deve ser da ordem de bilhões de reais? Como esses valores eram repassados ao governo de Nicolas Maduro sem que o país tivesse conhecimento? Esses valores eram levados em maletas para o governo Nicolas Maduro? Eram transferidos por intermédio de bancos? Quais eram esses bancos?

Como ocorrem essas divulgações, as pessoas que divulgam  tais informações devem ter informações privilegiadas que a maioria da população brasileira não tem acesso. 

Como se trata de um assunto que interessa a todos os brasileiros, essas pessoas poderiam, para o bem do Brasil, divulgar essas informações com dados concretos, com fontes seguras, até mesmo para, caso sejam verdadeiras, sejam adotadas providências legais contra essa suposta ajuda.

Com a palavra, aqueles que dizem que a Presidenta Dilma financiava o governo Nicolas Maduro. Contudo, caso não sejam apresentadas as informações necessárias para confirmar de forma segura o financiamento do Governo Nicolas Maduro pela Presidenta Dilma, vou achar que se trata de achismos, como muitos que infelizmente se propagam no Facebook.

segunda-feira, 16 de maio de 2016

AMAZÔNIA.NOTÍCIAS-16-05-16

GOLPE NO BRASIL: COERÊNCIA X INCOERÊNCIA

Tem sido divulgado no Facebook que os petistas, ou "petralhas" , como dizem os autores desses textos, de forma desrespeitosa, de que está havendo incoerência por parte dos petistas quando reclamam que existem, salvo engano, sete ministros desse governo interino envolvidos na Operação Lava jato. Será que esses autores têm razão?

Vamos aos fatos. Esse processo de impeachment (golpe) teve como sustentação, entre a pessoas que o defendem, de que não aguentavam mais corrupção por parte do Governo Dilma. Ou seja, como eram contra a corrupção, queriam a deposição do Governo Dilma, o que por si só, já demonstra a via errada para supostamente atender a indignação deles, uma vez que não seria por impeachment. Poderia ser aberta CPI, enviar pedido para o PGR, eleição. Menos o impeachment.

Diariamente se manifestavam, mas de forma seletiva. Atacavam ferozmente o governo federal, mas se calavam em relação ao condutor inicial do golpe, o Eduardo Cunha, contra quem já havia divulgação de fartos casos de corrupção. Então, percebi que, na realidade, essas pessoas não eram contra a corrupção, mas tinham objetivo certo, qual seja, retirar do poder, mesmo violando os preceitos constitucionais, uma governante legitimamente eleita.

Passada a etapa do golpe na Câmara dos Deputados, passou-se para o Senado, onde o relator foi o Senador Anastasia do PSDB, ou seja, do mesmo partido que mais lutou para retirar a Presidente Dilma do governo, desde o momento em que foi derrotado na eleição presidencial. Esse mesmo partido que contratou por R$45 mil os serviços de Janaína Paschoal para elaboração de parecer sobre o impeachment.

Pois bem, eis que a Presidente Dilma foi afastada de suas funções por 180 dias. Então, o governo interino assumiu e nomeou sete ministros mencionados na Operação Lava jato. Então, para se cobrar coerência daqueles arautos da moralidade, não somente os petistas, mas outros segmentos da sociedade reclamaram. Pois se o motivo do golpe seria para moralizar o país, os primeiros a não aceitar que esses sete ministros assumissem, seriam aqueles que se diziam contra a corrupção. Mas não. Se calaram, da mesma maneira como se calaram em relação ao Eduardo Cunha, numa demonstração de indignação seletiva.

Agora, quando petistas pedem coerência por parte dos arautos da moralidade, exigindo que esses ministros deixem o governo, aqueles que se diziam contra a corrupção, que queriam moralizar o país, começam a falar que há incoerência por parte dos petistas. Pode isso Arnaldo?




sábado, 14 de maio de 2016

AMAZÔNIA. NOTÍCIAS - 14-05-16

BRASIL: O GOLPE EM ANDAMENTO. A DEMOCRACIA SANGRA

O golpe que teve início com o Eduardo Cunha, quando, de forma clara, lhe foi negado apoio pelo PT para livrá-lo do processo de perda de mandato no Conselho de Ética, em retaliação, aceitou a proposta de Impeachment realizada por Hélio  Bicudo, Janaína Paschoal e Miguel Reale Junior .

A aceitação já teve inicio com desvio de finalidade e com abuso de poder por parte de Eduardo Cunha, que mais tarde teve o mandato suspenso pelo Teori Zavascki, que, em resumo, disse que Eduardo Cunha não tinha condições morais mínimas  para exercer tão relevante cargo público.

A votação do relatório na Câmara dos Deputados foi um circo de horrores, com políticos envolvidos em corrupção dizendo que votavam contra esse mal que aflinge a sociedade brasileira. No entanto, um ou outro, disse que votava porque achava que Dilma havia cometido crime de responsabilidade, o que não aconteceu, como de forma magistral o José Eduardo Cardoso pode esclarecer.

Essa votação era justamente para se dizer se haviam indícios do cometimento de crimes de responsabilidade e, mais de setenta por cento dos que votaram nada falaram a respeito disso. Falava -se em corrupção na Petrobras, nos problemas da economia, no número de desempregados, em conjunto da obra, mas nada, absolutamente nada sobre crime de responsabilidade, que é pressuposto essencial para um impeachment, sob pena de se cometer um golpe institucional contra Dilma. Ou seja, a votação não analisou o que deveria ser analisado:houve ou não crime de responsabilidade.

Vencida a etapa na Câmara dos Deputados, o resultado foi encaminhado para o Senado. Por mais absurdo que possa parecer, o relator escolhido foi o Anastasia, do PSDB, que pagou R$45.000,00 (quarenta e cinco mil reais) para Janaína Pascoal elaborar parecer sobre o impeachment. Ou seja, quem pediu o parecer para o impeachment, relatou o processo no Senado. O PSDB, o partido que mais desejava o afastamento da Dilma, juntamente com o PMDB, relata o processo no Senado. Há possibilidade de outra solução, que não a aceitação da denúncia?

No Senado, o José Eduardo Cardoso, mais uma vez, de forma magistral, demonstrou cabalmente a inexistência de crime de responsabilidade, mas como a oposição tem a maioria, o relatório foi aprovado.

Percebe-se, nitidamente, que estão sendo violados o direito da ampla defesa e do contraditório, devido a parcialidade do relator Anastasia, que já tinha um posicionamento prévio, que é o do PSDB, do seu mentor Aécio Neves.

Mais uma vez, a votação, em grande parte, falava-se em corrupção na Petrobras, desemprego elevado, conjunto da obra, que nada tem a ver com crimes de responsabilidade, que é o que se deve analisar neste processo. Se tem problema na Petrobras, que se abra uma CPI, que se encaminhe para o STF; se não se gosta do governo, que se troque por meio de eleição, que é uma das ferramentas previstas na constituição. Agora,o que não se pode é destituir uma Presidente da República, sobre quem não não há dúvidas quanto a sua honestidade, que não cometeu crime de responsabilidade. Isso é golpe, ferindo de forma grave a Constituição federal de 1988. Isso não se pode admitir, sob pena de retrocesso em nossa ainda jovem democracia.

Agora, não poderei deixar de falar sobre algo que ainda  nada se falou: a traição de Temer em relação à Dilma. Como ele, Vice-presidente, pode tramar contra a Dilma para se beneficiar. Movimentou o PMDB para votar contra Dilma, para se beneficiar. Não se está falando de lei, mas de ética. Caso ele discordasse da Dilma e quisesse movimentar o PMDB contra ela, que antes disso renunciasse ao cargo. Agora, como aconteceu é algo extremamente reprovável, e que marcará a vida política dele para sempre. A história  registrará esse ato tão baixo dele contra quem ele devia lealdade.

A ânsia de chegar ao poder, daqueles perdedores de eleição, e daqueles que não têm votos, chegou a um ponto tão baixo, que paralisou o Congresso para evitar aprovação de medidas do Governo Dilma visando prejudicá-la, quando na realidade estavam prejudicando o país. Engessaram o governo para jogar a população contra esse governo.

Mas espero que o tempo conte a verdadeira história desse golpe nominando aqueles que o perpetraram para que sejam reconhecidos e marcados por tão vil ato.









segunda-feira, 11 de abril de 2016


AMAZÔNIA. NOTÍCIAS- 10-04-16

O IMPEACHMENT DA PRESIDENTE DILMA: A QUEM INTERESSA? POR QUE A INDIGNAÇÃO SELETIVA?

Desde quando saiu o resultado das eleições do segundo mandato da Presidente Dilma, a direita brasileira se movimentou para, de qualquer forma, mesmo atropelando a Constituição Federal de 1988, retirar o mandato conseguido legalmente por meio de uma eleição vitoriosa, como preconiza a CF/88.

Primeiramente, o candidato Aécio alegou fraude na urna, pedindo recontagem de votos. Observe-se que nunca antes ninguém falou sobre isso. Inclusive o PSDB, com dois mandatos de FHC e mais de cinco em São Paulo.

Como essa tentativa não surtiu efeito, foram feitas mobilizações e a direita foi para a rua, alguns deles, por mais absurdo que possa parecer, pedindo intervenção militar, como ainda continuam pedindo ainda hoje. Não deu certo.

Não satisfeitos, começaram com uma campanha, que se dizia contra a corrupção, mas que na realidade visa única e exclusivamente retirar a Presidente Dilma do Poder. Essa assertiva se baseia no fato de que nada falam contra o Eduardo Cunha que, absurdamente ainda está no Poder, e , pasmem, comandando o processo de impeachment na Câmara dos Deputados. 

Essas mesmas pessoas que se dizem indignadas com o PT, andam de mãos dados com o Cunha, com todas as denúncias que envolvem o Presidente da Câmara dos Deputados. 

Assim, fica evidente que não estão combatendo corrupção, coisa nenhuma. Querem aplicar um golpe, para chegar ao Poder, violando frontalmente a CF/88. Não interesse se, agindo dessa forma, prejudiquem o Brasil, pela instabilidade política, aliada à crise econômica. O que vale é retirar o PT do poder, a qualquer preço. Não se quer combater corrupção.

Nessa campanha sórdida, diariamente nas redes sociais, pregam a violência, e dizem que a esquerda é age dessa forma. Publicam, com frequência, notícias falsas contra membros do PT e dizem que esquerda que age assim. Pedem boicote a intelectuais que defendem a Presidente Dilma, mas dizem que o Chico Buarque é autoritário porque proibiu o uso de suas músicas por determinado artista. Incitam as pessoas a injuriarem e difamarem determinadas pessoas, e dizem que a esquerda é comete crimes, e que propaga a violência. Defendem a Ditadura de 64, e falam da existência de uma ditatura no Brasil. Defendem golpe militar, mortes e torturas da Ditadura de 64, mas ficam indignados quando veem alguém queimando a bandeira brasileira. Repassam notícias sem verificar a procedência, basta que seja contra o PT, numa total irresponsabilidade. Ou seja, são tantas incoerências que eu fico pensado:isso tudo é ódio, má-fé ou ignorância. Ou tudo isso junto.
Menos ódio, mais coerência!

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

AMAZÔNIA. NOTÍCIAS-22-12-15


UFC. A DERROTA DE JOSÉ ALDO

A derrota de José Aldo para o MacGregor em apenas 13 segundos, por nocaute, deixou os fãs de José Aldo decepcionados. Esperava-se uma luta mais demorada, apesar do favoritismo de MacGregor.  
Sabia-se que MacGregor seria um duro adversário, até pela sua condição física e ter a vantagem da maior envergadura. Mas, mesmo assim, deve-se reverências a José Aldo por toda a sua trajetória e pelo que representa para o UFC.


O IMPEACHMENT: GOLPE DESCARADO

Eduardo Cunha tão logo soube que o PT não iria lhe dar apoio numa possível perda do mandato, por quebra de decoro parlamentar, aceitou o pedido de impeachment da Presidente Dilma.
Muito tem se discutido sobre a existência de um golpe nesse impeachment.  É claro que o impeachment está presente na Constituição Federal, mas é preciso que se tenha embasamento jurídico para que seja aceito o processamento dele. 
Os ex-ministros do STF, Joaquim Barbosa e Ayres Brito, já se pronunciaram contrários ao pedido de impeachment, porque não há embasamento jurídico até a presente data que dê suporte a esse pedido.O que se vê é que a oposição ainda não aceitou a derrota nas urnas, e quer de todas as formas, mesmo que afete a nossa ainda jovem democracia, conquistada às duras penas após um período tenebroso de ditadura militar, com início em 1964, chegar ao poder por vias tortas.

MICHEL TEMER QUER O IMPEACHMENT?

No mínimo estranho o posicionamento de Michel Temer em relação ao pedido de impeachment da Presidente Dilma. 
Somente depois que Eduardo Cunha aceitou o pedido de impeachment é que ele envia uma carta à Presidente Dilma se reclamando. Por que não fez isso antes?
Mais estranho ainda é a posição dele ao afirmar que não vai lutar nem contra nem a favor. Como assim? Ele foi eleito juntamente com a Presidente Dilma, e agora que o mandato dela corre perigo, não vai trabalhar para mantê-lo, ele como Vice-Presidente da República.
Segundo já se divulgou nas mídias nacionais, houve um acordo com o PSDB de que, caso a Dilma perca o mandato, Michel Temer assume legalmente a presidência, mas não se candidata em 2018. Ficaria, assim, aberta a porteira para Aécio Neves, que perdeu a eleição presidencial. Como mau perdedor quis recontagem de votos, agora luta pelo impeachment. Mas este deve se preocupar porque Alckmin também quer se candidatar.

A CAMPANHA RAIVOSA DA DIREITA NO BRASIL

Incrível como tem sido feita uma campanha tão cheia de ódio pela direita brasileira. 
Nas redes sociais é tanta (des)informação que são repassadas pelos incautos, sem se preocupar em saber a fonte. É tanta asneira. E o pior de tudo é que são passadas adiante sem o mínimo de responsabilidade. Com único objetivo de atingir o governo federal.
Só vivem falando em comunismo, confundindo com ações sociais que estão presentes na CF/88, e que foram postas em prática nos Governos do PT, como a inserção social e a distribuição de renda.  Chega ao ponto extremo de pedir intervenção militar, mas se dizem democratas, num comportamento dúbio. Defendem a ditadura e ditadores militares brasileiros e atacam Cuba.
Tenho por hábito não repassar postagem adiante sem checar a veracidade da mensagem; sem buscar a fonte.  Quando o texto contém expressões do tipo "repassem", acende logo uma luz de alerta dizendo: essa mensagem contém desinformação, imbecilidades e merece ser descartada.
A França nos deu um bom exemplo de como barrar a extrema direita que quis se aproveitar dos atentados do Estado Islâmico para por em prática suas ideias retrógradas. A população que num primeiro momento não foi às urnas, mudou de ideia e votou em peso para evitar que viesse a ocorrer um retrocesso na democracia daquele país. Mostrou claramente que o Estado islâmico é um mal, assim como as ideias retrógradas da extrema direita.



quinta-feira, 19 de novembro de 2015

AMAZÔNIA. NOTÍCIAS. 18-11-15

OS ATAQUES TERRORISTAS NA FRANÇA

Os ataques terroristas ocorridos na França devem ser reprovados de forma veemente. Contudo, se observa uma divulgação e consternação que não se vê quando esses atentados ocorrem em países africanos ou mesmo asiático.
Caso houvesse essa mesma indignação, talvez se tivesse tomado providências e esses fatos poderiam não ter ocorridos. A indignação, infelizmente ainda é seletiva. Ocorre na África, tudo bem. Mas quando ocorre na Europa, aí sim tem importância.
O Jornal nacional apresentou notícias com os repórteres até certo ponto emocionados com a tragédia ocorrida na França. Mas não se viu o mesmo tom com o desastre em Minas Gerais.
É preciso parar com essa hipocrisia e dar o mesmo valor à vida, quer seja de africano, asiático, europeu ou de outro continente.